Você está aqui: Página Inicial / Sala de Imprensa / Entrevistas / CRA-PE entrevista: Gilson Tavares

CRA-PE entrevista: Gilson Tavares

por Mariana Borges publicado 03/10/2017 12h10, última modificação 03/10/2017 12h15
Gilson Tavares é Bacharel em Administração e Psicanalista Clínico e Organizacional e atua como Professor Universitário, ministrando diversas disciplinas; Consultor Comportamental; Palestrante Motivacional e Comportamental.

Em cada entrevista que o CRA-PE realiza junto aos associados é possível vislumbrar um pouco a grande variedade de perfis  dos Administradores encontrados no mercado de trabalho. A dedicação à profissão é recompensada com as conquistas realizadas ao longo de uma trajetória que procura desenvolver o conhecimento técnico e os valores inerentes ao Administrador profissional.

Desta vez conhecemos um pouco sobre o Adm. Gilson Tavares e sua trajetória.

GILSON-TAVARES

Gilson Tavares é Bacharel em Administração, Especialista em Gestão de Pessoas, formado pela UNOPAR; Psicanalista Clínico e Organizacional, formado pela Associação Brasileira de Estudos Psicanalíticos do Estado de Pernambuco; Licenciatura Plena em Ciências Biológicas, formado pela UPE; Certificação Internacional em Gestão de Projetos pela Lingos Learning in Ngos; Aplicação de Ferramentas Coach pela FAMA, Escola Superior de Marketing.

Atua como Professor Universitário, ministrando diversas disciplinas; Consultor Comportamental; Palestrante Motivacional e Comportamental, realizando palestras, workshops e treinamentos comportamentais, abordando conteúdos que contribuam para o desenvolvimento pessoal e profissional, tendo como clientes empresas, entidades públicas e instituições do ensino superior; Criador da Revista Eletrônica Gestão:Pessoas e Negócios; Criador do Projeto Reinventar-se, composto de 10 palestras e 10 workshops, com conteúdos e atividades que contribuem para o desenvolvimento pessoal e profissional; Criador do Programa de Humanização no Ambiente Hospitalar, ministrado na Residência Multiprofissional do Hospital Regional Dom Moura, em Garanhuns-PE, desde 2015; Criador da Clínica Social Psicanalítica; Autor de vários Ebooks e de vários cursos online; Autor de vários artigos, publicados em seu site pessoal, gilsontavares.com, e em sites especializados como o administradores.com e o rhportal.com; Diretor Superintendente da Associação dos Administradores de Pernambuco.

CRA-PE: Conte-nos um pouco da sua história e como surgiu o seu interesse em trabalhar com ferramentas de desenvolvimento pessoal?

Gilson Tavares: Desde que me lembro, sempre tive curiosidade em saber como o mundo, as coisas, as pessoas e até os animais funcionam, e principalmente, compreender por que são como são e por que agem como agem. Essa curiosidade me levou, desde a adolescência,  à ler vários pensadores, filósofos e estudiosos do comportamento; a fazer observações e pesquisas sobre o assunto e a procurar adquirir informações relacionadas ao comportamento humano, como participar de um curso de parapsicologia por exemplo, realizado pelo renomado Pe. Oscar Quevedo.

Juntamente com a curiosidade em querer saber por que as pessoas são o que são, nasceu também o desejo de poder contribuir para que as pessoas pudessem produzir mudanças nas suas vidas e esse desejo me levou à formação como professor; à montar a minha própria escola e posteriormente a tornar-me psicanalista.

Como psicanalista, atendi por vários anos em meu consultório e também em vários centros de atendimento social, como a Fazenda da Esperança e a Comunidade Obra de Maria, por exemplo.

Em seguida, nasceu o desejo de não apenas acompanhar pessoas em sofrimento, mas também de contribuir para que elas pudessem se desenvolver, como pessoas e como profissionais, e pudessem construir uma vida melhor, para si e para as pessoas do seu convívio. Para isso frequentei cursos como gestão de projetos e aplicação de ferramentas coach, por exemplo, e comecei a ministrar palestras, workshops, treinamentos e a oferecer consultorias comportamentais, atendendo a dezenas de clientes, como o Instituto Nossa Senhora de Fátima, no Recife; a Câmara dos Vereadores de Garanhuns; o Hospital Regional Dom Moura, em Garanhuns e outras dezenas de organizações, como também em diversas Instituições do Ensino Superior.

 

CRA-PE: De que forma os treinamentos que você ministra podem impactar de forma positiva o ambiente de trabalho em uma organização?

Gilson Tavares: Nos meus trabalhos, que seja em palestras, workshops ou em treinamentos modulares, sempre procuro uma abordagem interativa e contextualizada, aproximando os conteúdos apresentados à realidade dos presentes e procurando promover a troca de experiências entre os presentes, sempre oferecendo oportunidades para a reflexão sobre o papel de cada um na construção da sua realidade e na realidade do seu mundo, que seja na vida pessoal ou profissional, como também a sua responsabilidade na construção das transformações que sejam necessárias para a realização das suas metas e objetivos e para a construção do seu mundo desejado.

Todos os trabalhos têm como objetivos promover a auto-avaliação; o autoconhecimento; a reflexão como pessoa e como profissional; o conhecimento do outro; a estimulação da empatia; a humanização e a harmonização do ambiente laboral.

Esse é o primeiro passo para que seja iniciado o processo de geração de espírito de cooperação, de pertença, de valorização individual e coletiva, essencial para uma equipe de sucesso, essencial para um clima de harmonia laboral e essencial para a criação do clima organizacional saudável e produtivo.

 

CRA-PE: Como a psicanálise pode contribuir no desenvolvimento profissional e pessoal de um indivíduo?

Gilson Tavares: As empresas são feitas de pessoas, e são elas, as pessoas, que determinam o sucesso ou o fracasso do negócio. O fator humano tem sido reconhecido como um fator fundamental para as organizações e atualmente é citado como um de seus ativos mais importantes. As pessoas constituem o principal ativo da organização. Esse é o principal paradigma adotado pelas organizações que pretendam não apenas se manterem no mercado, mas crescerem, prosperarem e tornarem-se referências nas suas áreas de atuação.

A Psicanálise tem como principal foco de atuação a essência do ser humano, na sua subjetividade e individualidade, procurando contribuir para que o indivíduo construa o seu autoconhecimento, a partir da reflexão sobre a sua história de vida e das suas experiências vivenciadas, procurando dá novos significados e importância às situações que lhe causaram algum sofrimento, para que assim, possa lidar melhor e sem sofrimento com os acontecimentos que lhe constituíram um ser único, com o seu temperamento; a sua forma de enxergar o mundo e a si mesmo; o seu jeito de pensar e as suas atitudes consigo mesmo, com as pessoas do seu convívio e com o mundo ao seu redor.

Cada ser humano é um ser inteiro, com todas as suas características, emoções, sentimentos, desejos, sonhos, e também com as suas limitações e com os seus fantasmas e sombras que lhe acompanham pela vida, muitas vezes influenciando as suas atitudes e o seu jeito de ser. Como é inseparável a identidade pessoal da identidade profissional, o indivíduo leva para a sua vida profissional toda a carga emocional e comportamental da sua essência e da sua vida pessoal. Dessa forma, para contribuir no desenvolvimento profissional do indivíduo, torna-se necessário trabalhar o seu desenvolvimento pessoal; a sua melhoria de qualidade de vida e principalmente a sua forma de enxergar o mundo e a si mesmo e a sua forma de pensar e agir no mundo. Isso vai refletir em todas as áreas da sua vida e vai influenciar na sua colaboração para a construção do clima organizacional saudável em todos os ambientes e lugares por onde passar.

 

CRA-PE: Quais habilidades e potencialidades precisam ser desenvolvidas para a boa formação profissional de um Administrador?

Gilson Tavares: Administrar uma organização, mais do que gerenciar processos é gerenciar pessoas; é ter uma visão holística da organização; é proporcionar para que todos os membros da organização conheçam a sua importância como partícula formadora desse sistema.

Encontrar formas de transformar as pessoas não apenas em colaboradores engajados com a razão de ser da organização, mas em parceiros, que encontrem razões para serem e fazerem uma única equipe, com um único objetivo, deve ser um desafio constante dos gestores que pretendam construir um ambiente laboral onde haja harmonia e colaboração.

Na busca constante desse clima organizacional que promova o bem-estar no ambiente laboral, talvez, uma das ações mais acertadas que o gestor possa encontrar, seja proporcionar momentos e situações que ofereçam a oportunidade para que seus colaboradores possam descobrir e desenvolver os seus potenciais, a partir de um mais aprofundado autoconhecimento, o que, consequentemente, trará como resultados positivos, uma maior realização e satisfação, tanto no âmbito pessoal quanto no âmbito profissional.

O administrador deve ter a consciência que há uma grande relação entre a vida dos indivíduos e os resultados das organizações, portanto, são duas realidades que devem ser levadas em consideração dentro do planejamento estratégico das empresas.

Portanto, além de todas as competências técnicas que o administrador deve desenvolver, especialmente em relação ao segmento que pretende atuar, precisa também desenvolver as competência comportamentais como: visão sistêmica e de cada detalhe ao mesmo tempo; criatividade; proatividade e resiliência; capacidade analítica e de síntese; liderança; comunicação; negociação e, sobretudo, desenvolver o seu equilíbrio emocional e aprender a conhecer, compreender e lidar com pessoas.

 

CRA-PE: E por fim, quais palavras de incentivo você gostaria de transmitir para os colegas profissionais de administração?

Gilson Tavares: São as nossas atitudes que constroem o nosso mundo. De nada adianta querermos transferir esse poder para terceiros, a responsabilidade continua sendo nossa, de cada um. Sabendo disso tudo, se queremos construir uma vida que nos traga satisfação e realização em relação aos frutos colhidos na nossa caminhada, precisamos está cientes que a responsabilidade disso é completamente nossa. Precisamos sempre refletir sobre os nossos atos; procurar refletir sobre os acertos e desacertos; procurar descobrir as nossas potencialidades e as nossas fraquezas e, sobretudo, procurar construir caminhos de transformações – porque vida é mudança.

Vida é movimento; é mudança; é escolha; é aprendizado. Aprendizado que deve durar até o último suspiro, porque, somos seres inacabados, e precisamos ter o compromisso de procurar ser uma pessoa melhor á cada dia de vida que tivermos.

Não assuma o papel de vítima – Assuma o controle da sua vida e construa o seu caminho.

Algumas palavras que vão ajudar na caminhada:

Desapego; Perdão; Gratidão; Resiliência; Flexibilidade; Bom humor; Simplicidade; Humildade; Propósito; Atitude; Proatividade; Criatividade; Paixão; Foco; Persistência; Sentido; Planejamento; Decisão; Reinventar-se sempre.

Decida ser feliz, assuma as rédeas da sua vida e lembre-se de três coisas: A felicidade não está no fim da caminhada e sim no caminhar; O que faz a diferença não são as palavras e sim as atitudes; O que faz acontecer não é a velocidade e sim a direção dos seus passos.

Não vemos o mundo como ele é, mas como nós somos. Então, se pretendemos mudar o mundo ao nosso redor, primeiro precisamos mudar a nós mesmos. Podemos mudar o mundo, mas, o primeiro passo é mudar a nós mesmos.

No mais, observe as propostas abaixo:

Você não tem que está sempre feliz!

Viver é enfrentar adversidades!

Não fuja dos problemas!

Pare de reclamar!

Valorize as pequenas conquistas!

Observe o que lhe é mais importante!

Dê sentido à sua vida.

registrado em:
Publicações